(Português) Segurança da Informação: Como se adequar às novas práticas?

Press Releases . 11 . March . 2020 . Written by: Marketing
(Português) Promovemos continuamente, uma série de adequações em nossos processos de trabalho para garantir mais transparência e segurança na coleta dos dados pessoais. 

(Português) Acreditamos que a segurança da informação é um pilar fundamental para a evolução da Duosystem. É por isso que promovemos continuamente adequações em nossos processos de trabalho, elaboramos políticas e procedimentos, buscando trazer mais transparência, segurança e proteção das informações coletadas por nossas soluções.

Trabalhamos continuamente na adequação dos processos organizacionais da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais brasileira / Lei 13.709/18, prevista para entrar em vigor em 2020. “Nossas equipes promovem diariamente, a capacitação dos colaboradores com relação aos conceitos da LGPD, o mapeamento e monitoramento das informações pessoais, além de investir esforços em soluções de segurança de dados coletados e revisões dos processos de trabalho”, afirma João Paulo Baptista Campi, presidente da Duosystem. Cabe destacar que a LGPD possui o objetivo de regulamentar o uso, a proteção e transferência de dados pessoais com relação às operações realizadas por pessoa física e/ou jurídica, independentemente do meio, do país de sua sede ou do país onde estejam localizados os dados.

Em paralelo, estamos em processo de implementação dos controles à norma ISO 27001, que estabelece as boas práticas de gestão de segurança da informação. A utilização dos dados de saúde por meio de nossa plataforma tecnológica nos exige a garantia da confidencialidade, integridade e a disponibilidade destas informações:

  • Confidencialidade significa garantir que a informação não será visualizada ou acessada por pessoas que não estejam autorizadas para tal;
  • Integridade significa garantir que a informação armazenada ou transferida está correta e é apresentada corretamente para quem a consulta;
  • Disponibilidade significa garantir que a informação possa ser obtida sempre que for necessário. Isto é, que esteja sempre disponível para quem precisar dela no exercício de suas funções.

Ainda há muito trabalho pela frente, mas é importante ressaltar que as boas práticas de segurança da informação são essenciais e não se tratam apenas sobre tecnologia e sim, sobre processos e pessoas. “O desafio de adequação é grande, mas consolidará a necessidade do uso ético, responsável e seguro dos dados pessoais, proporcionando a todos, mais transparência e evolução no setor da Saúde. Vamos em frente!”, conclui João Paulo Baptista Campi.