Saiba mais sobre os desafios da enfermagem no âmbito da saúde digital

Releases . 19 . novembro . 2020 . Escrito por: Marketing
A enfermagem ganha novas formas de atuação, utilizando a tecnologia como facilitadora para o rompimento de barreiras físicas e prestação de atendimento de qualidade.

O conceito de saúde digital é um tema em ascensão, especialmente em virtude da pandemia da Covid-19, onde a tecnologia tornou-se protagonista, otimizando e facilitando o acesso e gestão à saúde. O assunto está em expansão internacional com grande potencial para a promoção e prevenção da saúde e no auxílio de tratamento agudo e/ou crônico.

Com a presença da transformação digital no setor de saúde, a enfermagem é uma das áreas que não poderia ficar de fora deste processo inovador. Os recursos tecnológicos já fazem parte da rotina do profissional de enfermagem, ampliando seu campo de atuação, baseado no conceito de telessaúde.

Segundo Wanda Aguiar Horta, a enfermagem é a “ciência e a arte de assistir o ser humano no atendimento de suas necessidades básicas, de torná-lo independente desta assistência através da educação em saúde, de recuperar, manter e promover saúde, contando para isso com a colaboração de outros grupos profissionais”. Em uma equipe multidisciplinar, o enfermeiro é o profissional mais apropriado a assumir a coordenação do planejamento dos cuidados do paciente por meio da sistematização da assistência (SAE).

Para conhecimento, a teleconsulta de enfermagem foi aprovada por meio da Resolução 634/2020, pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), para garantir a capacidade de atendimento e combater à pandemia do novo coronavírus, através de consultas, esclarecimentos, encaminhamentos e orientações.

Neste cenário, é cada vez mais presente, a inclusão do enfermeiro como parte essencial no contexto de saúde digital, utilizando recursos tecnológicos de informação e comunicação, que possibilitam o atendimento à distância entre enfermeiro e paciente de forma simultânea e assíncrona, otimizando recursos e garantindo mais agilidade em todo o processo.

Prova disso, é o destaque da função do profissional enfermeiro no aplicativo e-saúdeSP – Plataforma da Saúde Paulistana. A solução foi desenvolvida pela empresa de tecnologia, especializada em inteligência e inovação em saúde, Duosystem e a Prefeitura de São Paulo. Disponibiliza um sistema de integração de dados clínicos e telemedicina, que reúne o histórico do paciente do Sistema Único de Saúde (SUS) na capital. O app está configurado com os protocolos clínicos da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, utilizando a inteligência artificial para classificar a gravidade dos casos.

Segundo o enfermeiro Seonio Lima, consultor da Central de Triagem da plataforma e-saúdeSP, a aplicação possibilitou a diminuição da aglomeração da população e registro de filas em unidades de saúde. “A Central de Triagem conta com profissionais enfermeiros e médicos, que prestam atendimento à população com sinais e sintomas de Covid-19, 24 horas por dia e 7 dias por semana”, destaca Lima.

Os sistemas de saúde trabalham gradualmente no desenvolvimento de uma cultura de informatização, com a capacitação dos profissionais, conscientização dos gestores e utilização de sistemas de tecnologia seguros. “O cenário atual é dinâmico e exige atualização contínua. Por isso, a busca pela qualificação é essencial ao enfermeiro que ocupa funções assistenciais, educacionais e gerenciais”, completa Lima.

Adicionalmente, de acordo com Lima, o apoio da tecnologia no setor de enfermagem, garante maior suporte na tomada de decisões, proporcionando uma abordagem cada vez mais assertiva por parte dos especialistas. A participação do enfermeiro na saúde digital é vital e veio para ficar.

Desta forma, as competências que o profissional deve possuir para prestar cuidados, devem seguir os princípios éticos e legais, respeitando as questões de confidencialidade e privacidade.  “Abre-se um novo campo de atuação para esta categoria, possibilitando que até mesmo aqueles profissionais do grupo de risco se mantenham atuantes e contribuam para o fortalecimento da saúde”, conclui Lima.